Bioarquitetura: O que é?

A Bioarquitetura é um ramo da Arquitetura que possibilita integrar funcionalidade, conforto e estética às construções respeitando o meio ambiente. Edificações que se assemelham aos ambientes naturais onde estão inseridas, causando o mínimo de impacto possível, são a base da Bioarquitetura.

Bioarquitetura Como Desafio

É de fato desafiador construir edifícios com capacidades sustentáveis altamente inovadoras, que efetuem economia de água, retenham luz solar e captem água da chuva, por exemplo. Entretanto, a Bioarquitetura não está só retida em soluções isoladas, mas no conjunto de todas elas, buscando o mínimo de impacto possível no meio ambiente.

Materiais e Mão de Obra Local

Dentre as diretrizes do ramo, está a utilização de materiais e mão de obra locais, incentivando a economia regional e reduzindo o impacto ambiental, porém, não é uma tarefa simples, uma vez que nem sempre o que imaginamos para um projeto está disponível nas proximidades.

Características Climáticas

O aproveitamento das características climáticas de determinada região são essenciais na Bioarquitetura, pois se bem utilizadas, podem gerar conforto térmico e lumínico sem a necessidade de utilização de energia elétrica em demasia, como é o caso dos aparelhos de ar condicionado, por exemplo.

Estrutura Sustentável

As casas na Bioarquitetura são projetadas com janelas amplas com a finalidade de obter boa ventilação natural, evitando o uso de ar condicionado, além de receberem painéis solares, que transformam a energia do sol em energia elétrica, apropriada para uso doméstico. A captação de água da chuva também está incluída na casa sustentável, reduzindo o consumo do recurso hídrico e apresentando muitas vantagens econômicas.

Soluções Simples

Os aspectos sustentáveis da Bioarquitetura não param nas áreas externas, uma vez que propõe soluções simples que podem ser executadas sem complexidade dentro de casa: utilizar tintas de baixa toxidade, optar por papéis de parede reciclados ou renováveis, escolher persianas para conforto térmico, separar o lixo para coleta seletiva, instalar lâmpadas econômicas, optar por mobiliários reciclados ou reutilizados, preferir por pisos de Bambú ou madeira certificada, acoplar arejadores às torneiras e válvula de duplo acionamento, entre outros aspectos.

Arquitetura Vernacular

A Arquitetura Vernacular é um dos princípios mais importantes da Bioarquitetura. Baseia-se em uma forma de construção que usa materiais locais, técnicas tradicionais, tipologias regionais e adequadas ao ambiente. Como exemplo de Arquitetura Vernacular, estão as construções de taipa, adobe, madeira, pedras e bambú. Entretanto, a Arquitetura Vernacular, sozinha, não é capaz de constituir a Bioarquitetura, uma vez que preza pela boa relação entre o vernacular e o contemporâneo.

Tecnologia

O conceito de Bioarquitetura parte do princípio de que é possível e viável construir edificações utilizando tecnologias contemporâneas combinadas à Arquitetura Vernacular, com finalidade não só estética, mas com intenção de proporcionar a melhor qualidade habitacional possível para os indivíduos e para o meio ambiente.

Sustentabilidade

A Bioarquitetura é de fato um tipo de construção sustentável, entretanto, construir sustentavelmente não significa que seja obrigatório seguir todas as diretrizes da Bioarquitetura, que trabalha fortemente com materiais naturais e busca incessantemente projetos completamente ecológicos. Ao aplicar alguns conceitos, como a instalação de Telhados Verdes e Captação de Água da Chuva, por exemplo, já se propõe, mesmo que em partes, a Arquitetura Sustentável, lembrando que o mais importante é começa a mudança aos poucos, sem exageros. Antes feito do que perfeito!

Bioarquitetura